Agosto Dourado

Lance Notícias | 04/08/2022 18:15

04/08/2022 18:15

16871 visualizações

Agosto Dourado: “o parto não é nada perto do empenho e determinação que exige a amamentação”, diz mãe de Xaxim

Você sabia que além dos inúmeros benefícios da amamentação na vida do bebê, a mãe também acaba sendo protegida e favorecida pela produção de leite e amamentação em si. Entre os principais benefícios que a mãe obtém ao amamentar, estão: diminuição do sangramento no período pós-parto; aceleração na perda de peso; redução da incidência de […]

Agosto Dourado: “o parto não é nada perto do empenho e determinação que exige a amamentação”, diz mãe de Xaxim

Você sabia que além dos inúmeros benefícios da amamentação na vida do bebê, a mãe também acaba sendo protegida e favorecida pela produção de leite e amamentação em si.

Entre os principais benefícios que a mãe obtém ao amamentar, estão: diminuição do sangramento no período pós-parto; aceleração na perda de peso; redução da incidência de cânceres de mama, ovário e endométrio; proteção contra doenças cardiovasculares e proteção contra a osteoporose.

De fato, o bebê não é o único a ser beneficiado por esse período de amamentação. Jéssica Duz Machado vivenciou duas experiências totalmente distintas se tratando de amamentação. Ela foi mãe jovem e aos 19 anos, com pouco conhecimento, o despreparo e os palpites das pessoas, fizeram ela passar por uma fase muito curta da amamentação do primeiro filho que hoje tem 12 anos.

— O início é desafiador, costumo dizer que o parto não é nada perto do empenho, foco e dedicação que exige o ato de amamentar. Prontamente surgem as dores, a falta de saber posicionar, a pega incorreta, o choro do bebê que somados ao cansaço, as noites mal dormidas, todos esses fatores foram decisivos pra atrapalhar veemente o aleitamento do Murilo meu menino mais velho — comenta.

Jéssica fala que os palpites que recebeu sobre seu leite ser fraco, sobre o uso da mamadeira e o desencorajamento materno, na melhor das intenções, somente lhe trouxeram prejuízos.

— Soubesse eu a 12 anos atrás que peito não é estoque e sim fábrica, que não existe leite fraco e a mais potente arma pra uma amamentação de sucesso é o empoderamento materno e informação de qualidade — acrescenta.

Junto a gravidez do segundo filho veio a experiência do empoderamento, a sede de saber, de pesquisar e munir-se de informações embasadas em evidências. Cada bebê é único, especial e estar munida de conhecimento, com toda a certeza fez a trajetória da amamentação do Théo, segundo filho de Jéssica ser marcante e definitivamente mais fácil.

— Théo teve sua hora dourada preservada, pôde vir ao meu colo assim que o ‘’pesquei’’ da banheira onde nasceu. E logo de início se conectou ao meu seio ainda ligado ao cordão umbilical, de onde não saiu por longos minutos. Mamou até cansar e adormeceu. Parecia que não havia percebido que tinha nascido — conta Jéssica.

Jéssica também teve suas dificuldades, porém tudo foi diferente e ela sabia como conduzir, como responder aos palpites e também lidar com a falta de informação dos outros.

— Me dediquei durante 791 dias para nutrir meu caçula. Fiz tudo que pude e desejei com todas as minhas forças poder criar este elo que durante mais de dois anos foi tão forte entre a gente. Não me arrependo nem por um instante por todas as horas de sono perdidas, pelos eventos trocados por uma blusa manchada de leite, nem pelos olhares de julgamento. Recebi tanto amor nos olhares sinceros enquanto ele mamava, aprendi muito com meu filho, recebi um amor tão puro e percebi que existe ainda muito preconceito com quem amamenta principalmente um bebê grande. Os palpites quase sempre vêm de graça, mas quando você está abastecida de informação e empoderada só restam os pontos positivos que esses são impossíveis de numerar — finaliza emocionada.

Deixe seu comentário