Comunidade

Maicon Fiuza | 26/09/2022 16:50

26/09/2022 16:50

6880 visualizações

Chapecoense faz apelo nas redes sociais por doação de medula óssea

O transplante de medula óssea é a única esperança de cura para muitas doenças do sangue, mas para que seja possível a sua realização é necessário que haja compatibilidade entre o doador e a pessoa doente. A cada cem mil pacientes, apenas um doador é compatível. Devido a essa estatística, quanto mais doadores houver, maiores […]

Chapecoense faz apelo nas redes sociais por doação de medula óssea

O transplante de medula óssea é a única esperança de cura para muitas doenças do sangue, mas para que seja possível a sua realização é necessário que haja compatibilidade entre o doador e a pessoa doente. A cada cem mil pacientes, apenas um doador é compatível. Devido a essa estatística, quanto mais doadores houver, maiores serão as probabilidades de compatibilidade entre as pessoas.

O Lance Xaxim conversou com France Elis Fernanda que descobriu uma leucemia mieloide aguda (LMA) após realizar um exame e contou sobre:

— Eu tive algumas ocorrências de dores abdominais e vomito, então procurei uma gastro, ela me pediu alguns exames e dentre eles o hemograma, onde notamos que alguns índices não estavam ok, após fui encaminhada a consulta hematológica, apesar do hemograma apresentar características que se assemelham a leucemia somente o exame e punção de medula pode dar o resultado preciso, o exame se confirmou e no mesmo dia iniciei meu tratamento quimioterápico, estou na 3ª fase de quimios e a indicação médica no meu caso é de que realizemos o transplante de medula óssea. Iniciamos os testes com os familiares, porém nenhum teve compatibilidade de 100%, então fui cadastrada no REDOME para busca de um doador não aparentado, a triagem já foi feita com a base de doadores disponíveis, mas ainda não localizamos algum 100% compatível, por isso a necessidade de mobilizarmos o máximo de pessoas possíveis, hoje só é possível um novo doador se cadastrar até os 35 anos de idade — conta.

Além da Leucemia, que é o caso de France os principais beneficiados com o transplante são pacientes com leucemias originárias das células da medula óssea, linfomas, doenças originadas do sistema imune em geral, dos gânglios e do baço, e anemias graves (adquiridas ou congênitas).

Outras doenças, não tão frequentes, também podem ser tratadas com transplante de medula, como as mielodisplasias, doenças do metabolismo, doenças autoimunes e vários tipos de tumores.

É possível se cadastrar como doador voluntário de medula óssea nos hemocentros localizados em todos os estados do país.

– Os doadores preenchem um formulário com dados pessoais e é coletada uma amostra de sangue com 5ml para testes. Estes testes determinam as características genéticas que são necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente.

– Os dados pessoais e os resultados dos testes são armazenados em um sistema informatizado que realiza o cruzamento com dados dos pacientes que estão necessitando de um transplante.

– Em caso de compatibilidade com um paciente, o doador é então chamado para exames complementares e para realizar a doação.

– Tudo seria muito simples e fácil, se não fosse o problema da compatibilidade entre as células do doador e do receptor. A chance de encontrar uma medula compatível é, em média, de uma em cem mil.

– Por isso, são organizados Registros de Doadores Voluntários de Medula Óssea, cuja função é cadastrar pessoas dispostas a doar. Quando um paciente necessita de transplante e não possui um doador na família, esse cadastro é consultado. Se for encontrado um doador compatível, ele será convidado a fazer a doação.

– Para o doador, a doação será apenas um incômodo passageiro. Para o doente, será a diferença entre a vida e a morte.

– A doação de medula óssea é um gesto de solidariedade e de amor ao próximo.

– É muito importante que os dados cadastrais sejam sempre atualizados para facilitar e agilizar a chamada do doador no momento exato.

Deixe seu comentário