Comunidade

Lance Notícias | 29/08/2022 14:40

29/08/2022 14:40

86324 visualizações

De Lajeado Grande à América do Sul: jovem conta experiência sobre ser comissário de voo

Alison Eliseu Bianchi tem 24 anos e é natural de Lajeado Grande. Sua formação é em Direito e ele também é comissário de voo. Na área profissional, Alison já trabalhou em uma agropecuária, no cartório e também como funcionário público na Prefeitura de Lajeado Grande. O que chama a atenção é que hoje, o rapaz […]

De Lajeado Grande à América do Sul: jovem conta experiência sobre ser comissário de voo

Alison Eliseu Bianchi tem 24 anos e é natural de Lajeado Grande. Sua formação é em Direito e ele também é comissário de voo. Na área profissional, Alison já trabalhou em uma agropecuária, no cartório e também como funcionário público na Prefeitura de Lajeado Grande. O que chama a atenção é que hoje, o rapaz do “interior”, sobrevoa toda a América do Sul.

Alison não teve o sonho de ser comissário de voo desde criança, seu interesse por voar surgiu após seu primeiro voo, no ano de 2014. Foi a partir desse momento que a luz ascendeu e ele teve a ideia de pesquisar mais sobre o assunto.

— Decidi que gostaria de me tornar comissário quando voei pela primeira vez em 2014. Desde então, passei a pesquisar muito sobre aviação. Em 2020 decidi fazer o curso e tentar entrar em uma companhia aérea. Deu certo, em 2021 comecei como agente de aeroporto em Chapecó e em 2022 fiz todos os processos internos para a vaga de comissário de voo o qual fui aprovado e hoje estou voando— comenta.

Alison conta que para se tomar comissário, é preciso ter 18 anos completos, ter feito o curso de comissário de voo em uma escola credenciada pela ANAC, ter CMA (certificado médico aeronáutico) e ter sido aprovado pela banca da ANAC.

Apesar de estar voando há apenas um mês, Alison já tem histórias para contar:

— Teve um dia que estávamos em voo de cruzeiro e um passageiro me chamou e perguntou “por que estamos parados?”, respondi que o voo já tinha iniciado e que já estávamos a 40 mil pés e a 800km/h. Era o primeiro voo dele e ele deu muita risada— conta rindo.

Sobre a nova profissão, Alison explica:

— A profissão de comissário é maravilhosa e está me proporcionando conhecer o mundo. No meu caso voo toda América do Sul. Ainda não tive a oportunidade de sair do Brasil, mas é muito gostoso um dia acordar em Porto Alegre e no outro estar em Fortaleza. Voar permite você conhecer muitas pessoas e culturas e eu sou encantado por esta profissão e tenho muito orgulho de onde cheguei— fala.

Deixe seu comentário