Esporte

Lance Notícias | 03/07/2022 14:03

03/07/2022 14:03

9784 visualizações

“Ele respira e inspira Kart”: diz pai de piloto xaxinense apaixonado pelas pistas

Crenilson Corrêa é pai do piloto júnior menor Lucas Provenzi Corrêa, de 11 anos. A jornalista do Lance Xaxim conversou com ele que contou sobre as experiências e a paixão do filho pelas pistas. O pai conta que Lucas ganhou o primeiro Kart aos quatro anos. A intenção era que o filho pegasse gosto pelo […]

“Ele respira e inspira Kart”: diz pai de piloto xaxinense apaixonado pelas pistas

Crenilson Corrêa é pai do piloto júnior menor Lucas Provenzi Corrêa, de 11 anos. A jornalista do Lance Xaxim conversou com ele que contou sobre as experiências e a paixão do filho pelas pistas.

O pai conta que Lucas ganhou o primeiro Kart aos quatro anos. A intenção era que o filho pegasse gosto pelo equipamento, já que teve o incentivo do pai, que era piloto de final de semana.

Quando perguntamos para Crenilson com que idade o filho começou ele fala que:

—  Como a CBA, Confederação Brasileira de Automobilismo só permite federar a partir de 7 anos, para ter a carteira de piloto e disputar provas ou corridas oficiais, tivemos que esperar, aí levava ele de vez em quando para brincar em Xanxerê, na pista de kart. Mas infelizmente quando ele tinha 8 para 9 anos começou a pandemia, e aí parou todos os campeonatos. Por isso ele iniciou aos dez anos— explica.

—  Quando o Lucas tinha 4 anos comprei um Kart para ele, chassis Mega, apenas para ele pegar gosto e ir se familiarizando pelo equipamento, na ocasião ele nem alcançava os pés nos pedais de freio e acelerador, tivemos que fazer algumas adaptações no banco e nos pedais para ele conseguir andar, além de reduzir a aceleração do motor. Geralmente, eu o levava andar sentado no meu colo e assim ele aproveitava um pouco mais— conta.

Lucas iniciou na carreira aos dez anos pela categoria Cadete, e começou a disputar as provas da região. Ele também participou das melhores provas do ano de 2021 realizadas no Parque Beto Carrero, as provas foram catarinense, SPR, Open do Brasileiro e Brasileiro, este considerado o maior campeonato nacional de Kart do mundo, com aproximadamente 600 pilotos inscritos.

— Desses 600 pilotos somente na categoria dele foram 70 pilotos cadetes de até dez anos. No Rio Grande do Sul disputamos o campeonato Gaúcho, também em 2021. Neste ano, 2022, estamos disputando, a Copa São Paulo Light em Interlagos SP, com 10 etapas, Paranaense com 3 etapas, Catarinense etapa única, Copa Brasil em Aracajú SE, e Brasileiro em João Pessoa PB, além da Copa SPR no Beto Carrero, Sul Brasileiro em Tarumã RS e aqui na nossa região a Copa Oeste Sul Brasileira— pontua.

Incentivado pelo pai que era piloto de fim de semana, Lucas assistia e participava junto, e foi aí que começou a pegar gosto pelo esporte.

— Eu era piloto de final de semana, andei várias provas regionais, sempre fui apaixonado por velocidade, F1 principalmente, sempre tentei incentivar ele a assistir e participar comigo, justamente para ele pegar gosto pelo esporte. Comecei em 2005 andar de kart, mas hoje só me dedico a ensinar ele e levar ele nas corridas— fala.

Sobre as premiações, Lucas já garantiu 14 troféus, Pole, de 1º a 5º colocado que é até onde a maioria das competições premiam. Lucas já participou de mais de 20 competições.

Sobre a paixão do filho pelo esporte ele diz que o filho é apaixonado pelo Kart, o ídolo dele e quem ele mais se inspira é Airton Senna.

— Ele respira e inspira kart, só esquece quando está dormindo mesmo e olha lá— diz.

Lucas leva os treinos e competições muito a sério, se cobra bastante para obter os melhores resultados, e com muito foco e dedicação vem evoluindo muito na categoria, que é uma das mais competitivas no kart brasileiro.

— O Lucas treina em casa, com jogos da F1 e de kart, além de assistir corridas de kart de outros pilotos em vídeos de corridas no Youtube, estuda os amigos e pilotos que são concorrentes dentro das pistas nas competições, mas são muito amigos fora das pistas—comenta.

Crenilson explica que o Kart é muito técnico, exige bastante conhecimento e sintonia entre ele e a equipe, entender cada momento nos treinos e corridas para buscar os milésimos ou décimos de segundo para obter as melhores posições nas tomadas de tempo e largadas.

— Tudo isso exige entender um pouco de mecânica e física, conhecer do kart para entender as melhores condições do equipamento, condições de pista, temperatura da pista, telemetria para buscar o melhor desempenho do piloto e do kart além das dicas e correções na pista com o Coach que acompanha os treinos e corridas—explica.

Hoje Lucas participa da categoria PJMK Júnior Menor. Motor 125CC. Velocidade 115km/h em pistas de alta, como Interlagos SP e Beto Carrero em Penha SC.

A equipe do piloto é composta por:

Piloto: Lucas Corrêa

Idade: 11 anos.

Telemetria – Thomas Becker,

Coach – Murilo Fiore e André Nicastro.

Chefe de equipe – Fernando Soares.

Mecânico – Douglas Fernandes e Roni.

 

Deixe seu comentário