Solidariedade

Lance Notícias | 15/07/2022 08:59

15/07/2022 08:59

7297 visualizações

Família promove Ação entre Amigos para custear tratamento de criança com retinoblastoma

Você lembra do Bryan Oruoski Viana? Ele tem um ano e é portador de de retinoblastoma, um tipo raro de câncer ocular, mais comum em crianças e responde por 3% dos cânceres infantis, chegando a cerca de 400 casos por ano. Entre 60% e 75% dos casos de retinoblastoma são esporádicos, isto é, uma célula sofre mutação […]

Família promove Ação entre Amigos para custear tratamento de criança com retinoblastoma

Você lembra do Bryan Oruoski Viana? Ele tem um ano e é portador de de retinoblastoma, um tipo raro de câncer ocular, mais comum em crianças e responde por 3% dos cânceres infantis, chegando a cerca de 400 casos por ano. Entre 60% e 75% dos casos de retinoblastoma são esporádicos, isto é, uma célula sofre mutação e passa a se multiplicar descontroladamente.

Débora Viana Mendes é mãe do pequeno, e desde a descoberta vem pedindo ajuda da comunidade por meio das redes sociais para que possa dar continuidade ao tratamento do filho. O tratamento é feito em São Paulo.

— Tentamos em Florianópolis também, mas lá não tinham os recursos necessários para salvar o olho dele— explica a mãe.

A família reside na cidade de Chapecó, e como forma de arrecadar dinheiro para o tratamento do menino, está promovendo uma Ação entre Amigos no valor de R$5. O prêmio é um pix no valor de R$300 e o sorteio será realizado por meio de uma live no instagram.

Débora diz que gasta com Bryan em deslocamento para São Paulo, alimentação, medicamentos e higiene pessoal. Ela explica que não possuem data exata para ir para São Paulo, devido à lonjura quando vão permanecem de 15 à 30 dias.

— Não temos datas exatas de quanto em quanto tempo vamos para São Paulo, pois no começo o Bryan fazia uma quimioterapia sistêmica, por isso a gente não conseguia muito vir para casa, em seis meses a gente veio três vezes e ficávamos lá de dez ou sete dias. Agora a quimioterapia dele é de mês em mês, as vezes a gente fica um mês a gente nunca tem data certa— explica.

Na última ida de Bryan para São Paulo ele pegou um resfriado ele fica impossibilitado de realizar o exame de fundo de olho, exame que é realizado sedado e nem a quimioterapia. Por esse motivo Bryan acabou perdendo a vaga e precisa esperar uma nova vaga abrir para que ele possa voltar.

Débora está afastada do serviço e não recebe salário, tudo que eles recebem são duas ajudas no valor de R$24,75 por dia que ficam em São Paulo.

Ajuda também pode ser enviada via PIX:49991949998. Quer saber mais sobre a história do Bryan? Siga a rede social @deboravianamendes

 

Deixe seu comentário