Polícia

Maicon Fiuza | 16/08/2022 16:57

16/08/2022 16:57

8421 visualizações

Indígena é preso preventivamente pela prática dos crimes de furto qualificado

Indígena é preso preventivamente pela prática dos crimes de furto qualificado

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos de Chapecó, prendeu, preventivamente, na data desta terça-feira (16), um indígena de 37 anos, responsável, juntamente com sua irmã, essa com 29 anos de idade, pela prática dos crimes de furto qualificado pelo concurso de pessoas, ocorridos nos dias 29 de abril, 01 de junho e 13 de julho de 2022, em farmácias localizadas neste município de Chapecó.

No dia 29 de abril de 2022, por volta das 15h19, o investigado, na companhia de sua irmã, também de origem indígena, essa segurando um bebê de colo, adentraram ao estabelecimento comercial – Farmácia – , localizado no bairro Santa Maria, nesta cidade de Chapecó, oportunidade em que enquanto a suspeita distraia os atendentes do local, mostrando interessada na aquisição de produtos infantis, o representado subtraia perfumes de marca importada, causando prejuízo de R$2.500,00 (dois mil e quinhentos reais).

No dia 01 de junho de 2022, também no bairro Santa Maria, mas em outra rede de farmácias, os investigados, utilizando o mesmo modo de agir, compareceram ao estabelecimento comercial referenciado, ocasião em que subtraíram a importância de R$3.000,00 (três mil reais) em perfumes importados, empreendendo fuga posteriormente.

Por fim, no dia 13 de julho do corrente ano, os suspeitos, utilizando o mesmo modo de agir, se fizeram presentes a uma farmácia localizada no bairro Jardim América, neste município, ocasião em que subtraíram um perfume importado avaliado na importância de R$500,00 (quinhentos reais), empreendendo fuga, logo em seguida

Ciente dos fatos criminosos, a Autoridade Policial instaurou três inquéritos para apurar cada uma das infrações penais.

Os Policiais Civis da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos de Chapecó, após analisaram as imagens colhidas dos sistemas de videomonitoramento dos estabelecimentos comerciais alvos dos crimes patrimoniais, lograram êxito na identificação e qualificação dos investigados.

Diante dos elementos probatórios, a Autoridade Policial representou pela prisão preventiva do indígena de 37 (trinta e sete) anos, tendo em vista ser indivíduo contumaz na prática dos crimes patrimoniais.

A Autoridade Judicial, seguindo a manifestação favorável do Membro do Ministério Público, deferiu a medida cautelar pleiteada pela Autoridade Policial.

Na data de hoje, os Policiais Civis da Delegacia Especializada acima referenciada se deslocaram para a cidade de Seara -SC, local em que o investigado trabalha, logrando êxito em sua localização e prisão preventiva.

Interrogado nos inquéritos policiais instaurados em seu desfavor, o suspeito informou que subtraiu os perfumes importados e os revendia pela quantia de R$150,00 (cento e cinquenta reais) a uma pessoa que sempre encontrava no terminal urbano, dividindo o proveito do crime com a irmã, também investigada.

Após o interrogatório, o suspeito foi encaminhado para o sistema prisional, local em que permanecerá à disposição da justiça.

O inquérito Policial será concluído no prazo de até dez dias.

Deixe seu comentário