Sem categoria

Lance Notícias | 01/08/2022 13:38

01/08/2022 13:38

26099 visualizações

Agosto Dourado: “amamentação pra mim foi mágico”, diz mãe

Certamente você já ouviu falar sobre Outubro Rosa, Novembro Azul, Julho Amarelo, estas cores sempre são associadas a um mês específico para dar “alertas” sobre a prevenção de algumas doenças. O Agosto Dourado não é diferente. Este é um mês dedicado ao incentivo do aleitamento materno. Com a celebração do Dia Mundial da Amamentação, realizado […]

Agosto Dourado: “amamentação pra mim foi mágico”, diz mãe

Certamente você já ouviu falar sobre Outubro Rosa, Novembro Azul, Julho Amarelo, estas cores sempre são associadas a um mês específico para dar “alertas” sobre a prevenção de algumas doenças.

O Agosto Dourado não é diferente. Este é um mês dedicado ao incentivo do aleitamento materno. Com a celebração do Dia Mundial da Amamentação, realizado anualmente em 1º de agosto, o mês dá início à Semana Mundial de Aleitamento Materno.

Tido pelas mães como um momento fundamental de troca mútua com os filhos, o gesto além de belo também apresenta desafios.

A equipe de jornalismo do Lance Xaxim conversou com Bruna Oselame, mãe do pequeno Ângelo que contou como foi ter se tornado mãe e também um pouquinho sobre a experiência deles nessa fase de amamentação.

— Desde o primeiro teste positivo eu já comecei a amar o Ângelo (mesmo não tendo certeza do sexo, já sabia que era o meu Ângelo) o primeiro chutinho, a compra das roupinhas, tudo é muito mágico. No dia que ele nasceu eu não consegui nem dormir de felicidade, e o amor a cada dia aumenta mais. Hoje não imaginamos mais nossa vida sem ele. Cada sorrisinho dele enche meu coração e desde a sua chegada eu sou uma nova pessoa, o Ângelo me mostrou a minha melhor versão e tudo que eu faço é sempre pensando nele primeiro. Ele é demais — fala Bruna.

Sobre o período da amamentação, Bruna diz que só conseguiu amamentar Ângelo durante dois meses, e que nesse período sua autoestima baixou muito.

— A amamentação pra mim, diferente das outras mães que sofrem com o bebê que não consegue pegar o peito, foi mágico! Ângelo nasceu já sabendo pegar o peito. Mas como nem tudo são flores, eu tinha pouco leite e precisava complementar com fórmula. Pra mim foi a pior parte pois todo mundo diz que precisamos dar o peito, que a criança precisa. Ouvi muito que precisava me esforçar mais, que precisava fazer o aleitamento materno exclusivo. Isso me atormentou demais, fiquei muito triste pela pressão que vinha das pessoas— conta.

Apesar de ouvir de muitas pessoas o que deveria fazer, Bruna decidiu desencanar e buscar os pontos positivos de Ângelo se alimentar pela fórmula. Como não tinha muito leite, o pequeno Ângelo se adaptou a fórmula e desistiu de procurar o peito.

Bruna também comenta que nessa fase que Ângelo está, ela pôde recuperar sua autoestima.

— Consegui voltar a trabalhar sem preocupação, fazer uma caminhada, tomar um café com as amigas, ter um tempo só meu e do meu esposo e até deixar o Ângel com o pai para poder ir no salão — comenta rindo.

Bruna sabe que pode contar sempre com a ajuda dos avós de Ângelo e isso a faz ficar cada dia mais tranquila.

— Sei que onde ele estiver, estará sendo bem cuidado — finaliza

Deixe seu comentário