Justiça

Lance Notícias | 15/09/2022 16:55

15/09/2022 16:55

9358 visualizações

Alunos de Cordilheira Alta participam de julgamento na comarca de Xaxim

O acusado de colaborar com o filho adolescente em crime que tirou a vida de outro rapaz foi condenado a 16 anos e quatro meses de prisão, em regime fechado, no júri realizado na última sexta-feira (9), na comarca de Xaxim. A sessão foi acompanhada integralmente por alunos do ensino médio da Escola Básica Cordilheira […]

Alunos de Cordilheira Alta participam de julgamento na comarca de Xaxim

O acusado de colaborar com o filho adolescente em crime que tirou a vida de outro rapaz foi condenado a 16 anos e quatro meses de prisão, em regime fechado, no júri realizado na última sexta-feira (9), na comarca de Xaxim.

A sessão foi acompanhada integralmente por alunos do ensino médio da Escola Básica Cordilheira Alta, que leva o nome do município onde está localizada. A atividade faz parte das discussões em sala de aula trazidas pelas disciplinas envolvidas em Ciências Humanas e Sociais Aplicadas.

Eram quase 17h quando a sentença foi lida pela juíza presidente do júri, Vanessa Bonetti Haupenthal. O réu teve concedido o direito de recorrer em liberdade. Os 24 alunos e as seis educadoras acompanharam todo o trabalho. A professora de História Marilita Claudia Bertolo explica que, a partir do que assistiram, os estudantes devem produzir um relatório sobre a atuação dos profissionais envolvidos.

– Além de abordar o conteúdo dos três Poderes, estamos debatendo as profissões. E, conforme a manifestação de interesse dos alunos, visitamos os respectivos locais de atuação. Mas acreditamos que assistir a uma sessão de julgamento também é uma forma de conscientização e incentivo ao bom comportamento – disse.

 

O crime

Consta na denúncia que pai e filho, este na época com 17 anos de idade, agrediram com socos e chutes a vítima, que ficou inconsciente. O adolescente, então, disparou pelo menos quatro vezes contra o rapaz. O crime aconteceu no dia 2 de julho de 2017. O processo tramita em segredo de justiça.

Deixe seu comentário