Justiça

Lance Notícias | 04/09/2022 13:39

04/09/2022 13:39

10276 visualizações

Após denúncia do MPSC, homem é condenado por tentar matar o ex-sogro a facadas

O Tribunal do Júri da Comarca de Dionísio Cerqueira, em sessão realizada na quarta-feira (31/8), atendeu ao pedido do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) e condenou Maicon Júnior de Oliveira a 12 anos de reclusão, em regime fechado, por tentativa de homicídio qualificado e corrupção de menor. Ele tentou matar o ex-sogro a facadas […]

Após denúncia do MPSC, homem é condenado por tentar matar o ex-sogro a facadas
O Tribunal do Júri da Comarca de Dionísio Cerqueira, em sessão realizada na quarta-feira (31/8), atendeu ao pedido do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) e condenou Maicon Júnior de Oliveira a 12 anos de reclusão, em regime fechado, por tentativa de homicídio qualificado e corrupção de menor. Ele tentou matar o ex-sogro a facadas e ameaçou matar a ex-companheira.

De acordo com a denúncia, no dia 9 de dezembro de 2014, por volta das 16h, na BR-163, em Dionísio Cerqueira, o réu, juntamente com o seu irmão de 15 anos, perseguiu a vítima de carro e tentou matá-la com ao menos três golpes de faca.

Conforme apurado na instrução processual, o crime foi cometido por motivo torpe, pois Maicon não se conformava com o término da relação com a ex-companheira, que era filha da vítima. O objetivo do réu foi vingar-se da ex-esposa e do pai dela, que a estaria apoiando na separação.

A vítima somente sobreviveu porque foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e levada a tempo para o hospital.

O réu ainda foi sentenciado a um mês e 15 dias de detenção pelo crime de ameaça. No mesmo dia da tentativa de homicídio, ele, prevalecendo-se das relações domésticas, ameaçou sua ex-companheira. Ele disse: “eu não vivo sem você, eu prefiro te ver morta do que com outro”.

O Promotor de Justiça Stefano Garcia da Silveira, que representou o MPSC na sessão, comenta que os crimes praticados pelo réu foram muito marcantes para região.

— Essa resposta é muito importante para mostrar que a população de Dionísio Cerqueira repudia a violência doméstica. É um ato que não é aceito aqui e em lugar nenhum — finaliza.

Da sentença cabe recurso.

Situação do réu 

O réu já se encontra preso porque foi condenado a 22 anos, quatro meses e 10 dias de reclusão em outra ação penal, pelo homicídio da ex-companheira.

Deixe seu comentário