Variedades

Lance Notícias | 25/08/2022 09:40

25/08/2022 09:40

22298 visualizações

Ex-morador de Xaxim conta sobre experiência de viver no Japão

Santiago Aduati é natural de Balneário Camboriú e com 13 anos veio com a família morar em Xaxim. Após quatro anos na cidade, Santiago retornou ao litoral e começou sua vida adulta com todas as suas respectivas responsabilidades. Desde muito jovem, Santiago já trabalhava e aprendeu cedo que o seu sucesso e objetivos são consequência […]

Ex-morador de Xaxim conta sobre experiência de viver no Japão

Santiago Aduati é natural de Balneário Camboriú e com 13 anos veio com a família morar em Xaxim. Após quatro anos na cidade, Santiago retornou ao litoral e começou sua vida adulta com todas as suas respectivas responsabilidades. Desde muito jovem, Santiago já trabalhava e aprendeu cedo que o seu sucesso e objetivos são consequência da sua determinação e constância.

— Eu sonhava em viver uma experiência no exterior, mas ainda sem país definido. Aí conheci minha esposa e ainda enquanto namorávamos nossos planos eram os mesmos. Ela é descendente de terceira geração japonesa e por conta disso, ela e seu cônjuge tem direito a visto de residência no Japão. Nos casamos e embarcamos nessa jornada— conta Santiago.

Ele conta que pelo fato de o Japão ser um dos países com a melhor qualidade de vida mundial e pela sua forte economia, Santiago e a esposa nunca sentiram medo na mudança. Embora a cultura e os costumes sejam completamente diferentes, eles conseguiram se adaptar muito bem.

— Atualmente sou funcionário de uma empreiteira que presta serviços a Murata Manufacturing, uma empresa multinacional, com várias sedes no mundo, líder em componentes eletrônicos e tecnologias. Inclusive, a título de curiosidade, a Murata da Finlândia recentemente desenvolveu e fabricou um sensor usado atualmente em Marte – comenta.

Santiago segue feliz há dois anos e meio no Japão e atualmente está no primeiro período bacharel em Ciências Aeronáuticas.

— Pretendo me profissionalizar na área e seguir quem sabe para Europa algum dia— finaliza Santiago.

Deixe seu comentário