Rafaela Moretti | 05/03/2023 16:45

05/03/2023 16:45

26615 visualizações

Esse é um assunto polêmico. Mas o que é o amor?

São muitas e diferentes dinâmicas que casais encontram para se relacionar e cada um a sua maneira acredita estar amando; diante disso, quando observamos o relacionamento dos outros muitas vezes julgamos, nos perguntamos: por que as pessoas vivem determinadas situações? Como aceitam tais comportamentos do companheiro ou companheira?  Não conseguimos entender! Mas como saber sobre o amor? Sentimentos são subjetivos, cada qual esta envolvido nas suas crenças e experiências vivenciadas…

Nesse sentido, cabe ressaltar que existem alguns comportamentos que são perversos, legítimas violências, que são inerentes a demonstração de um amor saudável. Muitas vezes o companheiro (a) coloca a responsabilidade da sua felicidade sobre o outro. Muitos não aceitam o termino de uma relação e começam a chantagear, ameaçar dizendo que irão se matar, matar a companheira (o) e os filhos, outros dizem que só aceitam se tratar se a pessoa voltar ao relacionamento, culpabilizam por sua infelicidade, insatisfação, e nomeiam suas atitudes justificando que é por amor, e outros ainda mais desiquilibrados na ideia de que a pessoa é sua propriedade acabam realmente cometendo homicídio (uma triste realidade diária). Para esses comportamentos é preciso tomar cuidado, pedir ajuda. Na atualidade temos inúmeras maneiras de tratar desses comportamentos. Principalmente em relacionamentos com filhos, é fundamental que os pais sejam maduros, que coloquem os filhos em SEGURANÇA, pois quem separa é somente o casal e não os pais. Os filhos precisam estar livres para amar tanto o pai quanto a mãe, não precisando escolher um dos lados para defender. Por isso é tão importante que um não fale mal do outro, que resolvam suas questões de maneira adulta. Para que os filhos se sintam livres para amar ambos. É importante que quando nos referimos a eles falemos: os NOSSOS filhos e NÃO os MEUS filhos.

Nunca envolva os filhos nesses conflitos que muitas vezes acabam em situações perigosas e trágicas, entre outros problemas emocionais.

Bert Hellinger diz: “para acabar um relacionamento é preciso mais amor do que quando começou”. Sim, um dia existiu amor, desejo de estarem juntos, e esse amor por diversos motivos pode ter se transformado e estar passando por dificuldades de entendimento entre o casal, onde os propósitos e desejos estejam em desequilibro, em desordem. Muitos casais procuram ajuda e conseguem resgatar essa relação, outros não, para esses é importante olhar com respeito e gratidão a história que viveram e seguir com esse amor e liberdade da decisão tomada. Nada, nada, nada justifica você privar o direito do outro viver somente pelo fato da relação ter acabado. Se estiver com esse problema peça ajuda na primeira ameaça.

Estou à disposição caso alguém quiser saber mais. Eliete Gabiatti-Consteladora Sistêmica. Fone: 49-999965626- Atendimento on-line e presencial

Deixe seu comentário