Rafaela Moretti | 31/12/2022 15:00

31/12/2022 15:00

14285 visualizações

Diário da Pandemia – 1.017º dia:

Finalmente, após alguma espera, ele chegou! Mais um fim de ano para comemorarmos nossa existência. Ao final de uma longa jornada (de exatos 365 dias), vamos celebrar em “dose” dupla: a despedida de 2022 e a chegada de 2023. Enfim, a vida se renova quando finalizamos um período e iniciamos outro, pois o novo ciclo irá trazer, sem dúvidas, novos desafios!

E, como já é tradicional no Diário da Pandemia, o último texto do ano faz uma “avaliação do ano de 2022”. Vamos, sem delongas, a ela:

Começando por janeiro, iniciei o ano confiante de que ele seria ótimo. Mês de férias, viajei até que bastante, porém, dessa feita, não consegui ir à praia. Além disso, o tempo livre permitiu vários encontros com os(as) amigos(as).

Em fevereiro, eu deveria retornar ao trabalho, mas continuei em licença-saúde, por expressa orientação médica. No mês seguinte, estressado e ansioso pelo compulsório afastamento das atividades laborais, passei alguns dias no Balneário de Ilha Redonda, em Palmitos.

Abril e maio passaram “incólumes”, sem grandes acontecimentos. Até que chegou o fatídico mês de junho e, com ele, os infortúnios na saúde (caso pudesse voltar no tempo, certamente eliminaria o dia 21, desse mês, de minha vil existência!).

Com isso, o período entre 22 de junho e 15 de agosto foi inteiramente dedicado à recuperação da saúde, tanto física quanto mental (só eu sei o que precisei controlar a mente para não enlouquecer…), em diferentes “frentes”.

Agosto, então, reservou o retorno à atividade profissional, com aulas para três turmas (duas da oitava série e uma do ensino médio). Já em setembro, precisei fazer uma perícia em Florianópolis, em dois dias desgastantes e infrutíferos.

Os três meses finais (outubro a dezembro) foram de certa “calmaria”. Estando já ambientado à escola, participei ativamente da Igreja e realizei, com meus alunos, uma visita muito legal ao Lance Notícias. Ah, não posso esquecer que, durante todo o ano, a filha Marina esteve ao meu lado, apoiando-me nos momentos difíceis.

Enfim, sobrevivi! E a Covid-19? Aparentemente, “aquietou-se”, porém não podemos considerá-la totalmente vencida. Portanto, continuemos nos cuidando no novo ano!

Em tempo: Arno Multimarcas, F2 Centro Automotivo e Lavanderia Universo – parceiros tradicionais do site Diário da Pandemia – desejam a todos os seus clientes, fornecedores e amigos um Feliz e Próspero 2023!

Deixe seu comentário