Rafaela Moretti | 04/03/2023 16:02

04/03/2023 16:02

9554 visualizações

Diário da Pandemia – 1.080º dia:

Chegamos ao fim da primeira semana de março. Não sei se é impressão só minha, mas parece que o tempo está passando rápido demais… Mesmo assim, trabalhei “minha cota”, visitei os diletos parceiros do site Diário da Pandemia (Arno Multimarcas, F2 Centro Automotivo e Lavanderia Universo), realizei meus bons treinos de academia e (para não perder o “bom costume”) tomei algumas boas xícaras de café! O que nos espera na nova semana?

Ao longo de sua existência no planeta Terra, o ser humano precisa, a todo momento, tomar alguns caminhos. E isso reafirma a importância de considerar que “suas decisões são só suas”.

Sim, a decisão pertence somente ao sujeito e a mais ninguém. Caso ele resolver pela opção equivocada, pagará, necessariamente, um mau preço; se decidir pelo certo, terá os “louros” da vitória. É, assim, basicamente, que funciona a vida.

A partir disso, vem o questionamento: podemos criticar a decisão do outro? Até que ponto devemos nos intrometer naquilo que ele decide fazer? Difícil responder, não é mesmo?

A verdade é que não podemos decidir, absolutamente nada, em nome do outro. Ele precisa passar por aquilo e adquirir a devida experiência com base no que resolveu trilhar. Claro que isso não nos isenta de, pelo menos, dizer (dependendo do resultado): “bem que eu avisei!”.

Claro que tomar uma decisão (ainda mais se ela for derradeira…) é difícil, exige muito cuidado e sopesar, calmamente, os prós e os contras. Mas, muitas vezes, é o melhor a se fazer, antes de ficar esperando que uma questão se resolva por si só…

Você, caro amigo leitor, costuma tomar suas próprias decisões ou consulta alguém antes disso? Conte pra nós!

Ler é o melhor exercício para o cérebro! Por isso, a sugestão literária de hoje é “Como ser um bom ancestral” (Roman Krznaric). Renomado filósofo, o autor discute o legado que pretendemos deixar para nossos filhos, netos e bisnetos. Nesse aspecto, alerta para a necessidade de nos libertarmos da tirania do agora e aprender a pensar a longo prazo, muito além de nossa geração.

Bom final de semana!

 

Deixe seu comentário